Cartão QSL

image006CARTAO ANT

QSL é um dos códigos Q utilizado nas transmissões de radiocomunicações. A mensagem do código Q, pode tanto ser uma pergunta como uma afirmação. Como por exemplo: ” Você pode confirmar o recebimento de minha transmissão?” ou  ” Eu confirmo o recebimento de sua transmissão.” Cartão QSL é uma confirmação escrita do contato entre duas estações, ou mesmo a recepção dos sinais de uma estação de rádio AM, FM, Televisão, ou ondas curtas. Esses cartões geralmente são enviados no ato do primeiro QSO realizado entre duas estações, ou quando em concursos, e diplomas há a necessidade de se provar determinado país trabalhado, ou quantidade de contatos realizados. A maioria destes cartões possuem o mesmo tamanho e de mesmo material de um cartão postal típico, sendo enviados geralmente da mesma maneira, ou seja, via correio. Existem outras formas de se enviar um cartão QSL.

História do Cartão QSL:

O conceito de enviar e receber cartões QSL para comprovar determinado contato. Pode ter sido inventado de forma independente várias vezes. A mais antiga referência parece ter sido uma carta enviada em 1916 a partir de 8VX em Buffalo, (Nova Iorque) para 3TQ em Filadélfia (Pensilvânia), naquela época não eram utilizados os prefixos ITU. O Cartão QSL padrão com indicativo, frequências, datas, etc pode ter sido desenvolvido em 1919 por C.D.HOFFMAN, 8UX em Akron, Ohio. Na Europa W.E.F.  “Bill” Corsham, 2UV, usado pela primeira vez em QSL quando estava operando de Harlesden, Inglaterra em 1922. Na prática, como preparar e enviar o cartão QSL ? Muito louvável a iniciativa de enviar a todos que realizaram QSO com  as estações os seus cartões QSL. Mas lembrem-se que QSL tem padrão e alguns dados são obrigatórios, além do fato de não poder haver rasura.dimensões do QSL: 14 cm x 9 cm (o tamanho cartão postal está em desuso – poucos países, como o Japão, ainda o adotam) gramatura do papel: de 150 g/m2 a 250 g/m2

dados obrigatórios: indicativo da sua estação, indicativo da estação trabalhada, data (usar quadrículos indicando dia/mês/ano ou então grafar o mês em romanos ou abreviando com as 3 primeiras letras, se for para exterior, abreviar em inglês), hora (usar UTC), frequencia (pode ser só a banda), modo (indicar sempre 2x – alguns diplomas não aceitam modos cruzados) e reportagem de sinal RS(T)

dados complementares: nome do operador, endereço do operador, região ITU, região CQ, grid locator, seu QSL manager, se vc recebeu ou espera o QSL do colega, etc.

uso de logotipos: se tem registro escoteiro/bandeirante em dia, use o logo do radioescotismo no QSL. Demais logotipos: só use os de associações das quais seja membro ou daquelas que permitem o uso quando o QSO é válido para diplomas por ela instituídos

uso de imagens: cuidado ao escolher imagens/fotos para colocar em seu QSL. Se a foto não for de sua autoria, veja se não está protegida por direitos autorais. Muito cuidado com fotos que possam causar constrangimento ao destinatário. Seu QSL vai circular o mundo e uma caricatura ou foto (por exemplo, pessoas com pouca ou sem roupa) que para nós seriam normais, em outros países podem ser ofensivas.

Escreva em destaque o indicativo da estação trabalhada. Se a estação tem um QSL manager, indique também em destaque.

Não pode haver rasura na anotação dos dados obrigatórios. Se errou não escreva por cima nem apague. Jogue fora o QSL e preencha outro.

Antes de enviar seu QSL procure saber qual a via de recebimento indicada pelo outro colega. Se ele consta do www.qrz.com e lá está escrito que só aceita QSL direto, não adianta enviar via LABRE, porque seu QSL nunca vai chegar até ele. Gasto de tempo e dinheiro para você e para a LABRE.

Se ele indica um QSL manager, vá até a página do manager e veja quais as instruções para remessa. Enviar em desacordo com as instruções também é perda de tempo e dinheiro.

Se vai enviar QSL para o exterior via LABRE, consulte antes a página da IARU na internet e veja se o país destinatário tem bureau de QSL. A LABRE só envia QSL para os bureaux oficiais dos países membros da IARU. Alguns países, mesmo sendo membros da IARU, não tem bureau de QSL funcionando.

Se está enviando seu QSL para uma estação que você tem particular interesse em receber o QSL dela, mande junto um SASE (envelope auto endereçado e selado – o SASE não deve ser carta social) ou, se for para o exterior, um SAE + IRC ou GS (GS=green stamp ou seja, dólares americanos). Tome cuidado ao fechar o envelope para que o excesso de cola não grude o que vai dentro. Também cuide para que o conteúdo do envelope não fique muito justo as bordas do envelope, evitando que o destinatário ao abrir o envelope acabe danificando o que está dentro.

Se o destinatário de seu QSL estava usando indicativo especial, indique o QSL manager, caso contrário há grande chance de seu cartão nunca chegar ao destinatário.

Se a estação for brasileira e você não souber qual o QSL manager, você pode encontrar o indicativo normal de uma estação com indicativo especial na página da Anatel:

http://sistemas.anatel.gov.br/easp/Novo/ConsultaIndicativo/Tela.asp?SISQSmodulo=11265

Ai clique em “menu principal” (acima, no lado direito) e em seguida em “consulta indicativo de chamada especial”.

Se for enviar QSL pelo correio, lembre-se que existem regras que especificam como deve ser o endereçamento:

Se for para o Brasil:

NOME DO DESTINATÁRIO
Logradouro, número da casa – bairro
Cidade – UF – CEP

Se for para o exterior:

NOME DO DESTINATÁRIO
Logradouro, número da casa – bairro
CEP  Cidade-UF (alguns países usam invertido: Cidade CEP UF ou Cidade UF CEP)
PAÍS DO DESTINATÁRIO

Esse endereçamento deve ficar no centro da parte da frente do envelope.
Preencha com letra legível, preferencialmente letra de imprensa (letra de forma)
Não use a sigla CEP, apenas anote os algarismos. Não use ponto separando milhar do CEP. Escreva assim:  12345-678
De preferência aos envelopes RPC (Recomendados Pelos Correios), que vem com as áreas para selos, endereçamento e CEP delimitadas.

73
Orlando .·. PT2OP, em 24/10/2011,
encarregado do bureau nacional da LABRE

A experiência do PY2OP – Samir Hamzo

Para estações DX:

1) Antes de enviar qualquer cartão, pesquise como a estação trata o assunto QSL.

1.1) Pode ser via BUreau para a própria estação ou seu Manager,

1.2) Pode ser diretamente para a estação ou manager.

Normalmente estas informações se obtém no qrz.com. Há também sites que indicam os managers das estações, como o 425dxn.org por exemplo.

2) Se a estação tiver um log on line para verificação de seu contato, faça-o.

2.1) Caso sua estação esteja “logada”, isto é uma das garantias que o QSL do DX pode chegar a vc.

2.2) Se não estiver, chore e tente outra vez, pois o manager não vai lhe enviar cartão.

2.3) Se estiver tudo bem, proceda às instruções para obter seu QSL.

Existe hoje o sistema OQRS, que vc confirma seu QSO no log on line e solicita seu QSL, que lhe enviarão via direta ou Bureau, SEM NECESSIDADE DE ENVIAR SEU QSL para eles. Confira nas informações da estação DX (QSL INFO).

2) Caso vc tenha que enviar seu cartão, e conhecendo o destino adequado, PREENCHA-O COM CLAREZA, principalmente se for via BUREAU.

3) No caso de via direta, coloque dentro do envelope um outro envelope preenchido com SEU endereço COMPLETO escrevendo BRAZIL!!! Este é o SAE (Self Addressed Envelop). Junte também o(s) IRC(s) necessários ou dólares (abreviados como GS ou USD) seguindo a orientação do manager. GS é abreviação de “Green Stamp”. Normalmente são 2 ou 3 GS solicitados.

A vantagem de se enviar cédulas é que elas são aceitas em quase todos os países, porém não são raros os casos de ROUBO pelos agentes postais. (Para Leste europeu é mais frequente).

Os IRC no Brasil são mais caros do que 2 dólares e são difíceis de encontrar. Em São Paulo, só sob encomenda em agências normais ou diretamente na agencia Central.

4) Em qualquer caso, são despesas, e por isso devem ser estudadas as possibilidades de baratear os custos. No Caso de estações do Brasil, a LABRE é minha primeira opção. Para Cartas diretas, pode-se utilizar a CARTA SOCIAL, cujo selo custa 1 centavo, mas tem regras próprias e o Correio não gosta da modalidade (Nem divulgam).

A Primeira e mais barata maneira é trafegar os cartões pelo BUREAU da LABRE, mas o retorno do QSL é bastante demorado, correndo-se o risco…

Quando o país é conquistado é figurinha, vale a pena o gasto.

Mais uma dica: a brincadeira de colecionar QSL não tem fim e talvez por isso nossa paixão.

Samir – PY2OP

Fonte parcial: http://en.wikipedia.org/wiki/QSL

1 comentário a “Cartão QSL

  1. Georgette

    EUCLYDES CANHETTI JUNIOR disse: Quero parabenizar o colega radioamador PT2OP – ORLANDO, que mesmo aqui distante me fez recordar meus tempos de escoteiro, me revivendo um SEMPRE ALERTA!
    Muito gostoso depois de muitos anos passados termos a sensação de que somos jovens e com o peito estufado e punjante satisfação de escotismo no nosso coração. Que Deus abençõe todos os escoteiros do Brasil.
    Radioamador que não vive para servir não serve para viver.
    Fraternal Abraço,
    PY9BKW, EUCLYDES CANHETTI JUNIOR
    Alta Floresta-MT

Deixe uma resposta